Pelo menos 35 pessoas morreram e outras 42 ficaram feridas num atentado suicida, esta segunda-feira, com um veículo armadilhado numa rua perto de uma área residencial, onde vivem dirigentes afegãos, no oeste de Cabul. O número de vítimas foi confirmado à Reuters por fonte governamental. 

A explosão aconteceu pouco antes das 07:00 (3:30 em Lisboa) numa rua no Distrito Policial 3, no oeste da capital afegã, disse à agência Efe a porta-voz do Ministério do Interior, Najib Danish.

O porta-voz tinha anunciado, na sua página de Facebook, que pelo menos 24 pessoas morreram e que as vítimas são “todas civis”.

Os talibãs reivindicaram o atentado suicida, e, segundo os insurgentes, foi dirigido a membros dos serviços secretos.

O objetivo era atingir dois minibus com “interrogadores” dos serviços secretos afegãos, disse o porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, num comunicado em que acrescentou que 37 membros dos serviços secretos morreram no ataque “com um carro repleto de potentes explosivos”.