logotipo tvi24

Advogados: estudantes culpam Ordem por chumbos

Alunos acusam Marinho Pinto de querer impedir o acesso à profissão

Por: Redacção / CP    |   2012-04-09 20:23

A associação que representa os estudantes de Direito da Universidade Católica responsabiliza a Ordem dos Advogados e o seu bastonário pela elevada taxa de reprovações nos candidatos à profissão, que atingiu este ano os 59 por cento.

«O programa, os formadores, os exames e os critérios de avaliação são da inteira responsabilidade da Ordem dos Advogados», acusa, em comunicado, o presidente da Associação Académica de Direito da Universidade Católica Portuguesa, Diogo Teixeira.

Dos 885 licenciados em Direito que concluíram os dois anos de estágio, apenas 367 conseguiram nota que lhes permite exercer a advocacia, noticia o jornal «Correio da Manhã».

«A Ordem dos Advogados disponibiliza um curso de estágio cujo preço aumentou drasticamente. Em troca, os estagiários recebem dois anos de formação que pouco acrescenta à sua licenciatura e cuja avaliação é baseada em critérios que envergonham o ensino e que só servem para uma coisa: chumbar para impedir o acesso à profissão», aponta o dirigente estudantil.

Diogo Teixeira recorda que o bastonário Marinho Pinto afirmou anteriormente que a Ordem «não vai vender cédulas profissionais como aconteceu no passado», questionando se o dirigente da classe já tomou medidas para «garantir que os advogados em exercício estão a exercer pelo mérito e não por terem comprado cédulas profissionais».

Partilhar
EM BAIXO: Marinho Pinto
Marinho Pinto

Problema técnico atrasa novo voo da TAP
Incidentes com aviões da companhia aérea têm sucedido nos últimos dias
Metro: linha vermelha interrompida
A linha vermelha liga as estações do Aeroporto e São Sebastião
Quando for aos Correios, compre uma árvore também
Árvores compradas nos CTT vão reflorestar zonas afetadas por incêndios
EM MANCHETE
Pais vão saber quem são os pedófilos
Proposta de lei prevê mais alterações de modo a aumentar a proteção e a prevenção de crimes de abuso sexual contra menores, pornografia e prostituição infantil
CGTP quer salário mínimo de 540 euros e aumentos de 3%
Governo deixa cair aumento da TSU e do IVA para 2015