O futuro Hospital Oriental de Lisboa, que acolherá as unidades do Centro Hospitalar de Lisboa Central, vai ter 825 camas e uma autonomia pediátrica, anunciou esta quarta-feira o ministro da Saúde.

Adalberto Campos Fernandes falava durante uma audição na Comissão Parlamentar da Saúde, durante a qual disse aos deputados que espera enquadrar as primeiras verbas para os novos hospitais no Orçamento do Estado para 2017.

Em relação ao futuro Centro Hospitalar de Lisboa Oriental – que acolherá os atuais hospitais de São José, Santa Marta, Curry Cabral, Capuchos, Maternidade Alfredo da Costa e Dona Estefânia –, o ministro garantiu que a gestão clínica será pública, mas que ainda estão a ser avaliadas eventuais vantagens de uma Parceria Pública Privada (PPP) para a construção e equipamentos.

Sobre as críticas que nos últimos anos foram ouvidas contra a integração do Dona Estefânia no novo hospital, Adalberto Campos Fernandes disse que a autonomia pediátrica está salvaguardada no plano funcional da unidade de saúde, que deverá ser conhecido em breve.

O hospital terá 825 camas e deverá respeitar o projeto inicial.

Nas contas de Adalberto Campos Fernandes, a transferência destes hospitais, alguns centenários, para uma nova instituição permitirá poupanças anuais de 48 milhões de euros.