A crise sísmica nos Açores ainda não terminou. Embora desde segunda-feira, dia em que houve centenas de abalos, a atividade tem vindo a decrescer, mas na última madrugada foi registado um sismo de magnitude 2,3 na escala de Richter na ilha de São Miguel.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), foi às  às 03:01 locais (mais uma hora em Lisboa). O terramoto foi registado nas estações da Rede Sísmica do Arquipélago dos Açores e o epicentro localizou-se a cerca de seis quilómetros a norte de Água de Alto, em São Miguel.

O IPMA esclarece que até à elaboração do comunicado não tinha sido “recebida nenhuma informação confirmando que este sismo tenha sido sentido”, adiantando que “se a situação o justificar serão emitidos novos comunicados”.

A atividade sísmica nesta que é a maior ilha dos Açores aumentou na madrugada e manhã de segunda-feira. Das centenas de sismos registados, 20 foram sentidos pela população.

Na quarta-feira, a atividade sísmica na parte central da ilha, “mais concretamente entre as lagoas do Fogo e do Congro”, continuava ligeiramente acima dos valores de referência, mas a manter a tendência decrescente, segundo o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), que deixou informações na sua página na Internet:

Como é normal neste tipo de atividade, apesar da tendência decrescente observada, podem ocorrer pontualmente alguns picos de maior libertação de energia, pelo que se mantêm os níveis de vigilância e as recomendações normais para este tipo de situações".

No início da semana, o IPMA advertiu que a actividade sísmica nos Açores se mantenha nos próximos dias ou semanas, com magnitude reduzida. Não é previsível que se agrave, no entanto é aconselhável prevenção e cautela.