A proteção civil dos Açores revelou esta sexta-feira que a atividade sísmica na zona das Furnas, em São Miguel, «tem manifestado nos últimos dias uma tendência decrescente, encontrando-se próxima dos valores normais de referência».

«Ao longo do dia 15 de janeiro não foi registado nenhum evento com epicentro na região em questão», mas «continua a manter-se a possibilidade de ocorrência de novos períodos de libertação de energia, incluindo sismos sentidos», informou, em comunicado, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) e o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA).

Desde o dia 4 de janeiro que esta atividade sísmica se regista numa zona entre quatro e cinco quilómetros a oeste das Furnas, na ilha de S. Miguel, e já foram registados «191 eventos nesta área epicentral, todos de baixa magnitude».

O sismo mais forte até ao momento ocorreu a 4 de janeiro, com magnitude 2.0 na Escala de Richter, com epicentro a cerca de quatro quilómetros a oeste das Furnas, e foi sentido com intensidade máxima II/III na Escala de Mercalli Modificada nesta vila do concelho de Povoação.

No dia 5, outros dois eventos foram sentidos com intensidade máxima II na vila das Furnas.

«Sob o ponto de vista geológico, a sismicidade desenvolve-se no flanco oeste do Vulcão das Furnas», acrescentam a proteção civil e CIVISA.