Portugal comunicou ao Alto-comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) a disponibilidade em acolher 15 refugiados sírios até ao final de 2013, e aguarda uma reposta do organismo da ONU, referiu à Lusa uma fonte oficial do MNE.

«No âmbito do Programa Nacional de Reinstalação de Refugiados - 2013, de acordo com o qual Portugal deve acolher 30 refugiados até ao final do ano, foi comunicado junto do ACNUR o interesse em receber 15 refugiados provenientes da Turquia», referiu o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

De acordo com a mesma fonte, Portugal manifestou «particular disponibilidade para reinstalar refugiados de nacionalidade síria», aguardando-se o envio por parte do ACNUR das propostas de candidatos ao programa.

O MNE esclareceu ainda que em 2013 ainda não foi emitido qualquer pedido a Portugal por parte de refugiados sírios.

Na terça-feira, António Guterres, Alto-comissário da ONU para os Refugiados, anunciou em Genebra que o número de refugiados sírios nos países vizinhos já ultrapassou os dois milhões e anunciou um plano do organismo para enfrentar um eventual aumento de refugiados sírios em caso de ação militar na Síria.

O responsável do ACNUR sublinhou a rapidez com que se está a agravar o êxodo da Síria, ao referir que um milhão de sírios abandonou o país nos dois primeiros anos de guerra, e outro milhão saiu do país nos últimos seis meses.

No interior da Síria, existem ainda 4,5 milhões de deslocados, que necessitam de ajuda humanitária, um número que as autoridades sírias elevam a mais de cinco milhões.

Sobre a evolução do conflito, Guterres disse que o seu organismo está preparado para «diferentes formas de escalada» da violência e admitiu que «lamentavelmente, a situação está a piorar e não a melhorar».

No seu pior cenário, o ACNUR tinha considerado que o número de refugiados poderia ascender a 3,5 milhões no final de 2013, mas ao ritmo atual ¿ entre 5.000 a 6.000 chegadas diárias a diferentes países fronteiriços ¿ prevê-se que esse número possa variar entre os 2,5 e os 2,7 milhões.

Ainda na terça-feira, o Governo da Suécia anunciou a decisão de conceder asilo a todos os sírios que o solicitem, tornando-se no primeiro país da União Europeia (UE) a adotar esta medida.

A Suíça também anunciou recentemente a disponibilidade em acolher 500 refugiados provenientes da Síria.

O Conflito na Síria já provocou mais de 110 mil mortos desde março de 2011, de acordo com as Nações Unidas.