A taxa de mortalidade rodoviária em Portugal baixou, em 2014, 3% de 61 para 59 por milhão de habitantes, face a 2013, acima dos 50,5% da média da União Europeia, segundo dados divulgados esta terça-feira pela Comissão Europeia.

Segundo os dados de Bruxelas, de 2013 para 2014 verificou-se um abrandamento na descida da taxa de fatalidades rodoviárias, quer em Portugal quer na média europeia.

Em Portugal, as mortes por sinistralidade rodoviária diminuíram 9% de 2012 para 2013 e a redução foi de 34%, quando comparado com os 80 mortos por milhão de habitantes registados em 2010.

Na UE, o número de mortos nas estradas baixou 1% de 2013 para 2014, depois de se ter reduzido 8% de 2012 para 2013, e 18% na comparação com 2010 (62 mortos por milhão de habitantes).

Quer Portugal quer a UE estão ainda longe de cumprir o objetivo estratégico de reduzir para metade as mortes na estrada entre 2010 e 2020.

Nos 28 Estados-membros, morreram 25.700 pessoas em acidentes rodoviários em 2014, menos 5.700 do que em 2010.

Os países com menor índice de óbitos em acidentes rodoviários eram, em 2014, Malta (26 por milhão de habitantes), Suécia e Reino Unido (29 cada), enquanto os maiores índices de mortalidade se registaram na Bulgária, Lituânia (90 cada), Roménia (91) e Letónia (106).