Quatro pessoas morreram e sete outras ficaram feridas com gravidade nas estradas portuguesas vigiadas pela GNR durante os quatro dias da operação «Hermes - Viajar em Segurança», segundo um balanço divulgado esta quinta-feira.

A primeira fase da operação decorreu entre domingo e quarta-feira, com 5.785 militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos comandos territoriais da GNR, que realizaram cerca de 1.400 ações, nas quais fiscalizaram mais de 18 mil condutores.

Nestes quatro dias, ocorreram 755 acidentes, dos quais resultaram quatro mortos, sete feridos graves e 285 ligeiros, segundo um comunicado hoje divulgado.

Em relação à operação idêntica que ocorreu no ano passado durante o mesmo período, houve mais 35 acidentes e mais 19 feridos ligeiros. Contudo, o número de mortos manteve-se e registaram-se menos 13 feridos graves.

Dos 18.736 condutores fiscalizados, a GNR deteve 183 pessoas, a maioria com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2.

Foram ainda detetadas mais de 6.500 infrações ao longo dos quatro dias de operação, com particular destaque para as 2.309 situações de excesso de velocidade.

O reforço do patrulhamento rodoviário insere-se na primeira fase da operação «Hermes ¿ Viajar em Segurança», ação que a Guarda Nacional Republicana desenvolve entre 13 de julho e 01 de setembro, em quatro fases, como cita a Lusa.