Morreram 104 pessoas nas estradas portuguesas desde o início do ano, menos 23 do que em igual período de 2013, indicou nesta quinta-feira a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR). O número de feridos graves, no entanto, aumentou.

Houve 416 pessoas com ferimentos graves na sequência de acidentes, mais 25 (6,3 por cento) do que há um ano.



O organismo que reúne dados da PSP e da GNR indica que entre 1 de janeiro e 31 de março registaram-se 28.374 acidentes que envolveram, pelo menos, um veículo em movimento e do qual resultaram vítimas ou danos materiais.

Nos três primeiros meses do ano ocorreram menos sete acidentes do que no mesmo período de 2013, então com um total de 28.381.

Os distritos com maior número de vítimas mortais devido a acidentes rodoviários são o Porto, com 12, seguido de Lisboa e Setúbal, com 10 mortes cada um.

Já os distritos com menos mortos, entre janeiro e março, foram Portalegre (um), Beja, Guarda e Vila Real (dois).



A Segurança Rodoviária indica ainda que este ano 7.704 pessoas sofreram ferimentos ligeiros, contra os 8.086 de 2013.

Os dados da ANSR dizem respeito ao número de mortos cujo óbito ocorreu no local do acidente ou durante o transporte para o hospital.