O Ministério Público (MP) acusou de homicídio por negligência o condutor do autocarro de passageiros que, em 2013, se despistou no IC8, no concelho da Sertã, acidente que causou a morte de 11 dos 44 passageiros.

Em resposta à agência Lusa, a Procuradoria-Geral da República informou hoje que foram imputados ao condutor 11 crimes de homicídio por negligência e oito crimes de ofensa à integridade física grave por negligência.

O autocarro de turismo de passageiros despistou-se, ao início da manhã de um domingo, 27 de janeiro de 2013, no IC8, no nó do Carvalhal, concelho da Sertã, tendo caído para uma ravina. Do acidente resultaram 11 mortos, 22 feridos graves e 10 feridos ligeiros, bem como danos materiais.

A viatura, transportando um grupo de 44 pessoas, quatro das quais crianças, partira de Portalegre em direção a São Paio de Oleiros (Santa Maria da Feira), para uma visita a uma exposição denominada "O maior presépio do mundo".

Dez das 11 vítimas mortais do acidente eram residentes no concelho de Portalegre, tendo a câmara municipal decretado, na ocasião, dois dias de luto.

A outra vítima mortal era do concelho de Monforte.

A acusação foi deduzida a 15 de dezembro pelo MP da instância local da Sertã, comarca de Castelo Branco, quase dois anos depois do acidente, refere a Lusa.