Os três portugueses que ficaram feridos com gravidade num choque frontal perto de Salamanca na madrugada de segunda-feira continuam internados "em estado grave, mas estável", disse à agência Lusa uma fonte hospitalar.

O acidente, ao quilómetro 350 da Autoestrada de Castilla, a cinco quilómetros da fronteira com Portugal (entrada por Vilar Formoso), vitimou mortalmente duas mulheres portuguesas, de 68 e 30 anos, e deixou outros três portugueses (uma mulher grávida e dois homens) gravemente feridos.

Os três feridos foram internados no Hospital Clínico e no Hospital Virgen de la Veja do Complexo Assistencial de Salamanca, onde cerca das 11:30 (hora de Lisboa) desta terça-feira ainda permaneciam "internados em estado grave, mas estável", disse à agência Lusa uma fonte daquela unidade.

A mesma fonte escusou-se a dar mais informações, referindo apenas que os três feridos vão ser submetidos a uma reavaliação do seu estado de saúde ainda esta terça-feira.

Os cinco acidentados viajavam num automóvel de matrícula portuguesa, alegadamente em turismo.

O acidente ocorreu ao início da madrugada de segunda-feira, quando o carro em que seguiam chocou de frente com um camião (conduzido igualmente por um português) perto de Fuentes de Onoro, num local em que se acaba a autoestrada e se inicia a estrada N-620.

As vítimas mortais da colisão frontal são duas mulheres naturais da Sertã e de Macieira da Lixa, Felgueiras, disseram à Lusa fontes da GNR.

Os três feridos são o condutor do ligeiro, um homem de 37 anos residente na Sertã, outro homem de 32 anos e a sua irmã, de 29 anos, também naturais da Sertã.

O português que conduzia o veículo pesado, um homem com 32 anos residente no Carregado, Alenquer, sofreu ferimentos ligeiros.