O piloto do ultraleve que caiu este sábado em Tomar, e que originou dois feridos graves, não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer nas instalações do hospital de Abrantes, para onde havia sido transportado.

Conforme disse à agência Lusa uma fonte da unidade hospitalar de Abrantes, o piloto de ultraleve, José Filipe Borga, 51 anos, empresário em Ourém, foi «encaminhado para a urgência ainda com vida mas não terá resistido à gravidade dos ferimentos».

O outro ocupante do ultraleve, um homem de 43 anos, residente em Tomar, ficou ferido com gravidade pela queda do ultraleve e continua em observações e a ser alvo de exames no hospital de Tomar, apurou a TVI.

De acordo com uma fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, o acidente verificou-se cerca das 17:15, no campo de voo de Valdonas, concelho de Tomar.

Estiveram no local do acidente duas dezenas de operacionais dos Bombeiros Voluntários de Tomar e Vila Nova da Barquinha e da PSP, além de equipas médicas de Tomar e do Centro Hospitalar do Médio Tejo, apoiados por seis viaturas.

Este é já o segundo acidente com ultraleves este ano. Na quinta-feira, primeiro dia do ano, outro ultraleve caiu no Aeródromo Municipal de Beja, pouco depois das 17.00 de quinta-feira, causando dois feridos graves.