Uma mulher de 45 anos ficou esta quarta-feira ferida com gravidade na sequência de um atropelamento e de um choque em cadeia que envolveu três viaturas na cidade de Vila Real, disse à agência Lusa fonte dos bombeiros.

O alerta para o acidente foi dado por volta das 14:00.

O comandante dos bombeiros da Cruz Branca, Orlando Matos, referiu que a sua corporação foi acionada para um atropelamento, na zona da Timpeira, tendo encontrado uma «vítima fora da passadeira que apresentava um traumatismo torácico».



A mulher de 45 anos foi assistida no local pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) e transportada para o Hospital de Vila Real em estado «considerado grave», mas «sem correr risco de vida».

Orlando Matos acrescentou ainda que se verificou ter ocorrido um «choque em cadeia» entre três veículos e que um dos condutores se sentiu mal e teve de ser transportado para o hospital para avaliação.

Depois, quando já se estava a prestar socorro à vítima do atropelamento, a sua filha entrou em choque e foi também transportada para a unidade hospitalar.

A PSP de Vila Real tomou conta da ocorrência e está a investigar as causas do acidente e se este ocorreu ou não na passadeira.

Segundo o Centro Distrital de Operações de Socorro de Vila Real, para o local foram acionados bombeiros das duas corporações da cidade, a Cruz Branca e a Cruz Verde, com três viaturas de emergência.

Três horas depois, novo acidente. Um homem de 70 anos sofreu ferimentos ligeiros, depois de ser colhido pelo espelho de um ligeiro. O acidente aconteceu também numa passadeira. 

​Na sequência do atropelamento, o carro despistou-se e embateu num poste. 



A Polícia de Vila Real mostrou-se recentemente «preocupada» com o número de acidentes e atropelamentos registados na cidade.

Em 2014 contabilizaram-se 283 acidentes e 21 atropelamentos na cidade de Vila Real, que provocaram uma vítima mortal, três feridos graves e 69 ligeiros.

Em 2013, ocorreram 345 acidentes e 32 atropelamento, com um morto, dois feridos graves e 103 ligeiros.

A polícia referiu que a maioria destes acidentes tem como causa estacionamentos irregulares sobre os passeios, sobre ou perto de passadeiras e em locais que não permitem uma correta visualização dos peões por parte dos condutores.