Uma mulher caiu ao rio, este domingo, quando circulava nos Passadiços do Paiva, em Arouca, mas saiu praticamente ilesa do acidente porque “conseguiu nadar cerca de 200 ou 300 metros” até à outra margem, disse fonte dos bombeiros.

“A senhora tem 50 e tal anos e escorregou nos passadiços, caindo ao rio. Foi arrastada rio abaixo, centenas de metros, e conseguiu nadar até à outra margem. Com o caudal que o rio leva, teve de ser uma pessoa com muita coragem, e a saber nadar muito bem. Até lhe dei um beijo, que a grande maioria das pessoas não fazia o que ela fez”, descreveu à Lusa o primeiro comandante dos bombeiros de Arouca, Floriano Amaral.

Os bombeiros foram alertados para a queda por volta das 14:00 e, quando chegaram ao local, encontraram a mulher a salvo, na outra margem, apenas com “algumas amassadelas” e a andar pelo próprio pé, acrescentou a mesma fonte.

“Aproveitou a corrente do rio e atravessou a nado para a outra margem. Terá estado na água cerca de 20 minutos, 30 minutos, se tanto”, descreveu o primeiro comandante dos bombeiros de Arouca.

De acordo com o responsável, os bombeiros deram os trabalhos por encerrados pelas 15:15. Floriano Amaral assinala que “a grande maioria das pessoas não faria” o que a mulher fez. “É precisa muita garra, muita vontade de viver. Ela mesma disse que pensou que morria”, acrescentou.

Os Passadiços do Paiva localizam-se na margem esquerda do Rio Paiva, no concelho de Arouca, distrito de Aveiro. São compostos por mais de oito quilómetros, numa caminhada que tem a duração média de 02:30, nível de dificuldade “alto” e “desníveis acentuados”.