As imagens do despiste na A1 que causou um morto e quatro feridos na Mealhada, ainda a ser analisadas pela GNR, «podem nem ser uma mais-valia» para explicar o acidente, disse esta quinta-feira um responsável da corporação.

Ouvido esta tarde pela agência Lusa, o comandante do Destacamento de Trânsito de Coimbra da GNR, capitão Pedro Rosa, relativizou a importância das imagens de vídeo do acidente, ocorrido terça-feira na área de serviço da Mealhada, embora admitindo que elas «podem tirar algumas dúvidas».

Segundo o capitão Pedro Rosa, o Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação da GNR de Coimbra tem a seu cargo, além da análise da gravação de vídeo pedida à BP (proprietária da loja de conveniência destruída pela viatura desgovernada), «várias diligências» para apurar as circunstâncias em que ocorreu o acidente.

«Podem nem ser uma mais-valia»

«É uma caso complicado, porque tem muitas vítimas», disse, explicando que profissionais daquele Núcleo de Investigação estão ainda a ouvir testemunhas e a recolher outros elementos de prova, a que se junta a peritagem ao carro sinistrado.

«As imagens podem tirar algumas dúvidas», mas o mesmo responsável admitiu que elas «podem nem ser uma mais-valia» do inquérito.

Pedro Rosa disse que os investigadores da GNR estão perante «um conjunto de situações que podem ter complicado» as circunstâncias do acidente. «Não podemos descurar nenhumas», enfatizou.

No entanto, para o comandante do Destacamento de Trânsito de Coimbra, «quase de certeza que não foi doença súbita» do condutor.

«Há ainda muitas diligências para fazer. Este é um inquérito com alguma complexidade», referiu.

Averiguações podem durar meses

Tais averiguações, incluindo a verificação das imagens de vídeo e a audição dos feridos, que esta tarde ainda não tinham sido interrogados pelos investigadores da Guarda Republicana, «poderão durar dias, semanas ou mesmo meses».

O mesmo oficial disse que uma eventual disponibilização das imagens aos jornalistas dependerá de autorização do magistrado competente e só após conclusão das diligências do inquérito.

O acidente ocorreu ao final da tarde de terça-feira, quando uma viatura entrou na área de serviço da Mealhada e se despistou, embatendo num veículo que estava estacionado e entrando nas instalações da loja de conveniência.

A vítima mortal é um homem que supostamente estava a levantar dinheiro quando foi colhido por uma viatura, disse, na altura, fonte dos bombeiros.

Para além da vítima mortal, do acidente resultaram quatro feridos, três dos quais necessitaram de tratamento hospitalar e foram transportados aos Hospitais da Universidade de Coimbra.