Dois trabalhadores da fábrica da Sarreliber de Arcos de Valdevez sofreram esta quinta-feira queimaduras graves ao serem atingidos por uma «projeção de ácido sulfúrico», informou à agência Lusa fonte dos bombeiros locais.

Os dois homens, de 29 e 53 anos, sofreram queimaduras de primeiro e segundo graus na face e no tronco e, de acordo com a mesma fonte, foram transportados para o Hospital da Prelada, no Porto.

«Foi uma pequena projeção de ácido sulfúrico que atingiu dois funcionários, devido a uma tubagem em PVC que se desencaixou no local em que eles estavam naquele momento», explicou fonte dos bombeiros de Arcos de Valdevez.

O acidente de trabalho deu-se depois das 10:30 e, apesar da perigosidade do tipo de produto envolvido, não obrigou à paragem na laboração daquela unidade da multinacional francesa que se dedica à transformação de plásticos.

«Os trabalhadores e a fábrica cumpriram todos os procedimentos de segurança, não foi necessário evacuar a unidade ou parar a laboração devido à boa organização existente», sublinharam os bombeiros.

O INEM chegou a mobilizar para o local vários meios, acionados face a um primeiro alerta interno que apontava, por engano, para a existência de dez feridos.

Um dos trabalhadores acabou por ser transportado para o Porto por um helicóptero do INEM que foi mobilizado para a fábrica, enquanto o segundo seguiu por via terrestre.

A fábrica da Sarreliber emprega em Arcos de Valdevez, desde 2004, mais de 300 trabalhadores, tendo a indústria automóvel, eletrónica e o setor da perfumaria como principais clientes.

Pertence ao grupo francês Orial, através da empresa Sarrel, líder europeu da metalização eletrolítica sobre matérias plásticas destinadas à indústria automóvel.

Este acidente está a ser investigado pela Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT), acrescenta a Lusa.