As queixas de abusos sexuais de menores na região de Lisboa aumentaram significativamente este ano, tendo a Polícia Judiciária recebido 700 processos até setembro, quando se tinham registado 128 casos até ao mesmo período do ano passado.

No primeiro semestre de 2016, o Ministério Público registou 500 casos – quatro vezes mais -, mas de junho a setembro entraram mais 200 processos na PJ.

A notícia é avançada pelo Diário de Notícias, que cita a coordenadora de investigação criminal da secção de crimes sexuais da PJ de Lisboa, Rita Vieira.

Segundo a responsável, até setembro “entraram 700 processos”, quando “em todo o ano de 2015 tinham entrado 900”.

Os concelhos com mais denúncias por abusos sexuais de menores são Amadora, Loures, Sintra e Vila Franca de Xira.

As participações de crimes sexuais aumentaram por parte das famílias das vítimas mas também das escolas e comissões de menores. Rita Vieira alerta que a maioria dos abusos sexuais “ocorrem dentro da família”.

A maior parte dos abusos sexuais a crianças (até aos 14 anos) que investigamos ainda ocorrem dentro da família. Os abusadores são sobretudo o pai, o padrasto, o tio, o avô e as vítimas são mais as meninas, embora também existam rapazes".