O Ministério Público (MP) acusou um homem de 24 anos de um crime de rapto agravado e 12 de abuso sexual de uma menor de 13 anos de Ponte de Lima, que foi encontrada numa casa em Vagos, Aveiro, indicou a Procuradoria Geral Distrital (PGD) do Porto.

Em nota publicada na sua página na Internet, a PGD adianta que o MP de Aveiro imputou ainda ao suspeito a prática de "crimes de subtração de menor e detenção de arma proibida".

De acordo com a acusação, "o arguido entabulou contactos com uma jovem de 13 anos de idade através do Facebook e, a pretexto de que a amava, convenceu-a a deslocar-se da sua residência para Vagos (distrito de Aveiro), à revelia dos pais, o que esta fez no dia 3 de março, seguindo as instruções dadas pelo arguido quanto aos meios de transporte a usar".

O MP de considera "que, em Vagos, o arguido conduziu a jovem a uma casa de residência pertença de familiares, onde a teve sob o seu domínio até ao dia 10 março, sempre encerrada na referida casa, à exceção dos breves instantes em que num desses dias lhe permitiu sair e ainda que, durante esse tempo, manteve com a jovem trato sexual".

O homem, que estava referenciado pela Polícia Judiciária por crimes de natureza sexual envolvendo menores, está a aguardar julgamento em prisão preventiva.

Mariana Leirinha, de 13 anos, saiu de casa dos pais, em Beiral do Lima, a 3 de março, uma sexta-feira, não chegou a ir à escola, foi vista em Braga e encontrada uma semana depois na localidade de Vigia, Vagos.

A menor encontrava-se no interior de uma casa acompanhada por um homem de 24 anos, "sem ocupação profissional e amplamente referenciado pela prática de crimes de natureza sexual envolvendo menores de idade", segundo a PJ.
 
Familiares e amigos já tinham dito à TVI que a jovem teria sido aliciada por um jovem de 24 anos nas redes sociais.

O telemóvel de Mariana Fernandes foi localizado, no sábado, em Vagos, a mais de 200 quilómetros de Ponte de Lima, o que foi determinante para encontrar Mariana.

De acordo com o jornal local O Ponto, que registou, em exclusivo, o momento em que a menor foi encontrada pela PJ, Mariana Leirinha foi encontrada nos anexos de uma casa desabitada em Vigia, cerca das 9 horas de dia 10 de março.

O suspeito era enteado dos proprietários, que, por estarem separados, não residem naquela habitação.