O Ministério Público pediu o julgamento de um homem acusado de violação agravada, coação sexual, gravações ilícitas, pornografia de menores e maus tratos, revelou esta quarta-feira a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

De acordo com a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, o homem, em prisão preventiva desde outubro de 2015, terá abusado sexualmente da filha da sua companheira, atualmente com 17 anos, entre janeiro de 2007 e outubro de 2015, na casa onde residiam.

O arguido está indiciado de ter praticado com a filha da companheira "cerca de 1.000 vezes atos de índole sexual", cinco das quais foram filmadas e guardadas no computador.

A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa adianta que, após o nascimento da filha, em dezembro de 2012, e do momento em que começou a andar, o arguido passou a praticar tais atos na sua presença.