A Empresa Portuguesa de Águas Livres (EPAL) vai disponibilizar 12 pontos de água para facilitar a luta contra os incêndios florestais, uma iniciativa que será objeto de um protocolo entre várias entidades.

A assinatura do protocolo, que decorre esta sexta-feira em Lisboa, reúne, além da EPAL, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a Associação Nacional de Proteção Civil e a Guarda Nacional Republicana.

A concretização do protocolo insere-se nas comemorações do Dia Mundial das Florestas e da Árvore, hoje assinalado.

A EPAL preparou os pontos de água para puderem ser utilizados pelos bombeiros em situações de combate a incêndios florestais.

As infraestruturas, que já se encontram funcionais, localizam-se em Vila Franca de Xira, Asseiceira, Vale da Pedra, Cabeço da Rosa, Freixial, Vila Nova da Barquinha, Torres Novas, Cartaxo, Sardaçal, Madeiras, Azambuja e Guerreiros.

Nos pontos de água da EPAL, foram instalados dispositivos para que os bombeiros possam abastecer mangueiras e autotanques a utilizar para o combate aos fogos nas florestas.

A cerimónia vai contar com a presença do ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva.

Várias ações estão agendadas para assinalar o Dia Mundial da Floresta, como a iniciativa «Dá a Mão à Floresta», do grupo Soporcel, através da distribuição de milhares de plantas provenientes dos seus viveiros, como eucaliptos, pinheiros mansos, sobreiros, carvalhos, azinheiras, alfazemas ou alecrim pelas populações de Aveiro, Aljezur, Castelo de Paiva, Ferreira do Zêzere, Figueira da Foz e Setúbal.