O Governo quer que os alunos possam passar mais tempo na escola. A ideia é que os alunos, até ao 9º ano possam ficar na escola desde as 8:30 até às 19:30. 

A notícia avançada pelo "Diário de Notícias", tem por base o programa de Governo do PS e das Grandes Opções do Plano para a legislatura de 2016-2019. Este é um objetivo para quatro anos que tem diversas implicações como, por exemplo, a revisão de currículos e uma redução da carga disciplinar excessiva dos estudantes.

A medida já existe no primeiro ciclo e o Governo pretende alargar o exemplo, mas o custo pode ser elevado. A implementação no 1º ciclo exigiu um investimento de 100 milhões de euros.

Pais e diretores de escolas aplaudem a medida, desde que seja garantida uma ocupação de qualidade para os alunos. Será preciso contratar mais professores, técnicos e auxiliares. Aulas de música, teatro, desporto são algumas das possíveis ofertas.

O alargamento das atividades extracurriculares a todo o ensino básico ainda não começou a ser negociada pelo ministério da Educação, pelo que o esforço financeiro da medida ainda não foi calculado. E os pais podem ser chamados a contribuir para esse valor.

Mas a Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap), em declarações ao DN, rejeita à partida esse preço:

"Se é uma resposta pública no âmbito do processo educativo deve ser gratuito. A pagar as famílias já têm resposta, não precisam de mais uma", explica Jorge Ascenção, presidente da Confap.