Centenas de sindicalistas e trabalhadores da administração local estão concentrados esta sexta-feira em frente ao Ministério das Finanças, em Lisboa, para exigir a publicação dos acordos que permitem trabalhar 35 horas por semana nas autarquias.

Os trabalhadores ocuparam as vias de trânsito em frente ao ministério, que estão interrompidas desde as 11:50 e uma delegação já tentou entrar, mas foi informada que o secretário de Estado da Administração Pública não a iria receber.

A porta do ministério das Finanças está protegida pela polícia, que se colocou entre os manifestantes e a entrada.

Os manifestantes gritam palavras de ordem como «35 horas sim, 40 horas não», «ACEP assinado, ACEP publicado», «Está na hora, está na hora do Governo ir embora» e apitam, como reporta a Lusa.

Além dos dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL), que se manifestaram durante toda a semana, marcaram também presença no protesto de hoje muitos trabalhadores de zonas próximas de Lisboa, alguns deles identificados com fardas das autarquias do Barreiro, Setúbal, Seixal e Lisboa.

A frente do Ministério das Finanças será hoje palco de um outro protesto, que junta os trabalhadores da administração pública e contesta de direitos e reivindica a reposição das 35 horas de trabalho semanal nos serviços do Estado.

O protesto, convocado pela Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública, vai decorrer entre a Praça do Príncipe Real e o Ministério das Finanças, a partir das 14:30.

A coordenadora da Frente Comum, Ana Avoila, disse à agência Lusa que deverão participar na manifestação alguns milhares de trabalhadores de todo o país.