Prisão preventiva foi a medida de coação aplicada a cinco homens detidos na quinta-feira, no Algarve, numa operação de combate ao tráfico de estupefacientes que causou ferimentos a três pessoas, incluindo um polícia, revelou a PSP.

O elemento policial ficou ferido quando o veículo em que seguia o suspeito e um acompanhante, que também ficaram feridos, tentou abalroar e atropelar as forças de segurança que procuravam parar o automóvel junto ao nó de Olhão da Via do Infante (A22).

Num comunicado do Comando de Faro da PSP, a força de segurança anunciou que seis suspeitos foram presentes a tribunal no sábado e “foi aplicada, pela Autoridade Judiciária, a medida de coação mais gravosa, de prisão preventiva, a cinco dos detidos”.

“Um outro arguido detido ficou com apresentações semanais a realizar na esquadra de Olhão”, acrescentou a mesma fonte, frisando que “o principal suspeito desta investigação, por tráfico de estupefacientes, mantém-se hospitalizado e sob vigilância policial, em recuperação, não suscitando especiais cuidados”.

Já o agente da PSP que ficou ferido “teve alta médica no dia de sábado, após intervenção cirúrgica”, esclareceu o Comando de Faro, depois de, na quinta-feira, fonte do hospital de Faro ter dito à agência Lusa que tinham dado entrada cerca das 02:00 três homens "com ferimentos de arma de fogo" e dois deles se mantinham internados, em observação.

O terceiro já tinha tido alta clínica, referiu na ocasião a fonte hospitalar, sem especificar se se tratava do polícia ou de algum dos suspeitos.

Este domingo, a PSP revelou que o agente ferido teve alta no sábado, pelo que a alta clínica foi dada na quinta-feira a um dos suspeitos detidos.

Segundo as informações recolhidas na quinta-feira, as autoridades planeavam intercetar no nó de Olhão da antiga autoestrada Sem custos para o Utilizador (Scut) do Algarve (Via do Infante/A22) um grupo suspeito de tráfico de droga que vinha de Espanha.