O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) admitiu esta quarta-feira o recurso «aos tribunais portugueses e europeus», por causa do alargamento do horário de trabalho para as 40 horas semanais, sem aumento da remuneração.

Guadalupe Simões, do SEP, disse à agência Lusa que «há matéria de facto» para recorrer para as instâncias judiciais.

A sindicalista referiu ainda que o SEP, que volta a reunir-se com o Ministério da Saúde a 10 de setembro, continuará a desenvolver contactos e a promover plenários para esclarecer «aquilo que o ministério não quer fazer, para resolver os problemas dos enfermeiros».

Também serão realizados contactos «junto da população, para denunciar que o Serviço Nacional de Saúde está cada vez mais em causa, assim como o acesso das pessoas aos serviços de saúde».

Estas ações foram decididas pela direção nacional do SEP na reunião de hoje.

O SEP, que realizou uma vigília em frente do Ministério da Saúde entre 22 e 24 deste mês, contesta ainda os cortes no setor da saúde, afetando «muitos enfermeiros, que ganham muito pouco à hora».

No início de julho, os enfermeiros cumpriram dois dias de greve.