O herbicida glifosato voltou a ser discutido publicamente depois do Ministério da Agricultura ter esclarecido que o potencial carcinogénico do herbicida está associado à substância taloamina e não ao produto.

Já esta terça-feira, o Bloco de Esquerda anunciou que quer a proibir a aplicação de produtos contendo glifosato em "zonas urbanas, zonas de lazer e vias de comunicação" e ter agendado, para dia 18 de maio, um debate potestativo sobre o herbicida.

Explicamos-lhe agora o que é o glifosato, cuja utilização futura será decidida ainda este mês. 

O que é o glifosato?

É herbicida mais utilizado em Portugal. O glifosato é um pesticida que foi considerado “provavelmente cancerígeno” pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2015, mas ainda estão a ser feitos estudos sobre o seu efeito na saúde.
  

Qual os efeitos nocivos deste herbicida? 

A OMS classificou o herbicida como “provavelmente cancerígeno” para humanos. No entanto, a  IARC - Agência Internacional para a Investigação sobre o Cancro - considera que existem evidências suficientes de que o glifosato causa cancro em animais de laboratório e que existem também provas diretas para o mesmo efeito em seres humanos, embora mais limitadas.


Onde se encontra? 

De acordo com a especialista do Instituto Soldadura e Qualidade Cristina Tendinha, em declarações à TVI24, o glifosato é um "herbicida de largo espectro que é utilizado para matar ervas daninhas, em jardins, é utilizado também como secante em cereais, nas culturas" e que "pode ser também utilizado em géneros alimentícios".

Já segundo a Quercus, o glifosato está "autorizado para aplicação em linhas de água para matar infestantes" e é também "vendido livremente para uso doméstico em hipermercados, hortos e outras lojas e, lamentavelmente, usado com abundância por quase todas as autarquias para limpeza de arruamentos".

Está a saúde dos consumidores em risco?

"Não, não está". Cristina Tendinha garante que a saúde dos consumidores não está em risco uma vez que, "de há 10 anos para cá, este tema tem melhorado imenso".

"Temos evoluído muitíssimo. A indústria alimentar tem implementado sistemas de qualidade e de segurança que nos dão garantias", garante.

Manifestação contra a Monsanto, marca que inventou o glifosato, em São Paulo - 23 de maio de 2015 - REUTERS/Paulo Whitaker

O que provoca? 

Segundo a IARC, um dos problemas identificados está na relação entre a exposição ao glifosato e um cancro do sangue: o Linfoma não Hodgkin (LNH). Já um estudo da Sociedade Americana de Microbiologia demonstrou que este tipo de pesticida provoca a resistência a antibióticos nas bactérias com que entra em contacto.


Desde quando é usado? 
 

O herbicida foi inventado, pela multinacional Monsanto, nos anos 70. Atualmente em Portugal, há mais de 20 marcas - como a Monsanto, Dow, Bayer e Syngenta - que comercializam o herbicida de largo espectro que mata qualquer tipo de planta.

Em 2014, a Quercus lançou uma campanha nacional a apelar aos municípios para que deixem de utilizar pesticidas para eliminar ervas daninhas em jardins e outros locais públicos, e em meados de março, só eram quatro os municípios a aderir - Braga, Castelo de Paiva, Vila Real e S.Vicente (Madeira) - e 14 as freguesias, além de alguns processos em análise.

Em 2015, após a análise da OMS, o então primeiro-ministro Passos Coelho garantiu que o Governo estava "muito atento sobre esta matéria" e que, apesar de a OMS ter "sinalizado o risco", não existia "evidência que possa haver contaminação".