Os pediatras do hospital do Barreiro entregaram um abaixo-assinado ao Conselho de Administração, assinado por elementos do Serviço de Pediatria, onde alertam que a falta de médicos, principalmente no período noturno, compromete a qualidade da assistência dada pelos pediatras da urgência.
 
Os profissionais dizem ainda que “ a escala de urgência é garantida apenas porque diversos elementos fazem serviços de urgência extraordinários de forma sistemática, tendo atingido o limite da sua capacidade de trabalho extraordinário”.
 
Tudo isto acontece porque alguns médicos rescindiram contrato recentemente não tendo sido substituídos, outros atingiram o limite de idade para dispensa de horário noturno, um clínico está de baixa médica prolongada, um outro em licença de maternidade, duas médicas estão em horário de amamentação e outras duas no terceiro trimestre de gravidez. Tudo somado, faz com que existam poucos médicos que assegurem as escalas.
 
O documento diz mesmo que “ a escassez de clínicos compromete a atividade prestada nos diversos sectores do serviço de pediatria, apesar dos internos do 4º e 5º ano que integram as equipas de urgência serem considerados pediatras, o que constitui já uma deturpação da lei atual”.
 
Por tudo isto no abaixo-assinado, com data de 21 de Agosto, os médicos propõem “ a contratação emergente de pediatras, bem como o encerramento da Urgência Pediátrica e do Bloco de Partos sempre que não estejam assegurados os recursos mínimos”.
 
A TVI contactou o Conselho de Administração do Centro Hospitalar Barreiro Montijo que em comunicado refere “ estar a procurar soluções, quer através da contratação de médicos pediatras, quer através do reforço da contratação de outros médicos que permitam reforçar as equipas. Uma situação dependente da disponibilidade de recursos para prestação de serviços médicos”. Para tudo isto aguardam autorização superior.