Há mais dois casos de sarampo confirmados, subindo para 78 o número total durante este surto.

Segundo a Direção-geral da Saúde, 65 doentes já estão curados e ainda há 29 casos em investigação.

Na nota divulgada esta quinta-feira, a DGS adianta que 187 casos foram dados como negativos, sendo que há dois doentes internados em situação clínica estável.

Segundo este último balanço, 14% dos infetados não estavam vacinados, enquanto 8% tinham o esquema vacinal incompleto.

A grande maioria são profissionais de saúde (85%) e o surto continua concentrado no Norte.

Apenas dois dos casos confirmados foram em Pombal e em Lisboa.

Os sintomas de sarampo aparecem geralmente entre 10 a 12 dias depois de a pessoa ser infetada e começam habitualmente com febre, erupção cutânea (progride da cabeça para o tronco e para as extremidades inferiores), tosse, conjuntivite e corrimento nasal.

Existe vacina contra o sarampo no Programa Nacional de Vacinação, que deve ser administrada aos 12 meses e cinco anos.

Os profissionais de saúde devem ter as duas doses da vacina independentemente da sua idade.

Quem já teve sarampo está imunizado e não voltará a ter a doença. As pessoas com o esquema vacinal completo podem contrair a doença, mas de forma leve e não são veículo de transmissão, segundo as autoridades de saúde.