Um tiroteio, esta terça-feira à noite, no Bairro da Ameixoeira, na Alta de Lisboa, deixou três agentes da terceira esquadra da PSP feridos. Os agentes feridos têm "entre 30 e 40 anos", adiantou a PSP, num ponto da situação feito cerca das 23:00

Além dos três agentes feridos, dois civis do sexo feminino foram também atingidas. Embora ainda não tenha sido confirmado por nenhuma fonte oficial, a TVI apurou junto de várias fontes que contradizem o balanço avançado pela PSP: uma das civis foi baleada no pescoço e outra na cara, sendo que uma delas não terá resistido aos ferimentos e acabou por morrer a caminho do hospital.

A TVI apurou ainda que um dos polícias feridos foi submetido a uma cirurgia. 

Estas informações vêm ao encontro das informações avançadas pelo INEM pouco tempo depois do incidente e que dava conta de que três dos cinco feridos estavam em estado crítico. Um dos feridos é um dos elementos da PSP feridos, disse à Lusa fonte do INEM.

Os feridos foram transportados para o Hospital de Santa Maria, segundo fonte hospitalar.

O tiroteio terá acontecido na sequência de uma rixa entre famílias de etnia cigana. A TVI apurou que, após a discussão, foi chamada a polícia e foi nessa altura que começou o tiroteio. Três elementos da PSP foram baleados com tiros de caçadeira. 

Os três elementos foram baleados quando chegaram ao local” para acabar com confrontos entre populares, disse à agência Lusa o porta-voz da PSP, subcomissário Hugo Abreu, pouco depois do incidente.

O incidente ocorreu cerca das 19:40. Contactado pela Lusa, fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica disse que foi chamado ao local às 19:55.

Decorreram buscas e investigações no bairro, com a polícia a recolher elementos de prova e a entrar mesmo nos prédios, como puderam testemunhar as equipas da TVI que se deslocaram para o local. 

Os habitantes do bairro estiveram impedidos de regressar a casa durante várias horas e foram, perto da meia-noite, escoltados até casa pela polícia. As operações no bairro terminaram, pelo menos de forma visível, com a desmobilização da polícia cerca das 00:30. Um homem terá já sido identificado, embora não haja ainda a informação de que tenha sido detido.

O sobrinho de uma das mulheres feridas durante a troca de tiros, que não quis ser identificado, afirmou aos jornalistas que a tia foi atingida por um tiro disparado por um agente da polícia.