As chamas que deflagraram ao início da noite de domingo, em Mirandela, já estão extintas. O incêndio ocorreu em dois armazéns no antigo complexo industrial do Cachão e a intervenção dos bombeiros não permitiu que atingisse um terceiro. 

Já estão a decorrer os trabalhos de consolidação nos dois armazéns de plástico prensado.

“É um trabalho moroso, que se vai prolongar no tempo, mas não tem riscos para qualquer outra infraestrutura”, sublinhou o comandante.

Em declarações à agência Lusa ao início da manhã, Noel Afonso, do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Bragança, frisou que o incêndio “está dominado, estando a decorrer trabalhos de consolidação e as equipas de socorro no local “à espera, igualmente, de uma máquina giratória para remoção de todo o material que está dentro dos pavilhões atingidos”.

De acordo com o mesmo responsável, a ação de remoção e limpeza “vai demorar muito tempo”, adiantando que deverá “arrastar-se durante muitas horas”, já que se calcula que “várias centenas de toneladas de plástico” se encontram ardidas no local.

O alerta para o incêndio em dois armazéns de plástico prensado que deflagrou no antigo complexo industrial do Cachão, em Mirandela, no distrito de Bragança foi dado domingo pelas 19:00 e, três horas depois, as chamas estavam ainda a ser combatidas por 85 operacionais, apoiados por 35 veículos.

O fogo foi dominado às 23:10 de domingo, tendo sido evitado que as chamas se propagassem a um terceiro armazém do complexo industrial.

Noel Afonso adiantou ainda encontrar-se descartada a possibilidade de reacendimento do incêndio ou propagação aos outros edifícios do complexo industrial.