Há mais quatro casos de legionella diagnosticados em Portugal, desta vez no Hospital CUF Descobertas. A informação é adiantada pela Direção-Geral de Saúde, num comunicado publicado no site da DGS, que informa também sobre o seu estado de saúde.

Todos os doentes são mulheres e todas se encontram estáveis"

A TVI24 apurou que as infetadas serão duas doentes e duas funcionárias, informação que carece de confirmação oficial. Será feito um ponto de situação ao longo do dia.

O Hospital CUF Descobertas adiantou, cerca das 15:30, que o prognóstico é "positivo” e que os casos diagnosticados foram "de imediato reportados" à DGS. 

[O hospital dispõe de] procedimentos de controlo epidemiológico e de segurança muito rigorosos que foram agora reforçados de forma preventiva".

No comunicado divulgado pela DGS, é dada a indicação de que as autoridades de saúde, em articulação com o Conselho de Administração do Hospital CUF Descobertas e em colaboração com o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge iniciaram já "a necessária intervenção" junto do hospital com o objetivo de assegurar:

  • O diagnóstico e tratamento dos doentes;
  • O reforço da vigilância epidemiológica;
  • O reforço da vigilância ambiental;
  • A implementação das medidas necessárias para interromper a transmissão.

Outros casos recentes 

Na semana passada, também foi detetada a bactéria noutro hospital, o de Torres Vedras, designadamente numa casa de banho do Serviço de Ortopedia 2, que foi encerrado. Segundo a administração do hospital, nenhum doente ou funcionário da unidade foi infetado.

Um surto em novembro do ano passado no hospital São Francisco Xavier, também em Lisboa, causou seis mortos e dezenas de infetados. O relatório definitivo sobre esse surto entregue ao Ministério Público concluiu que nenhum dos sete equipamentos nas redondezas do hospital registou a bactéria. Na altura, o ministro da Saúde assumiu que "algo correu mal" naquela unidade de saúde.

Maior surto foi há três anos

Em 2014, mais de 400 pessoas foram infectadas em Vila Franca de Xira com legionella.

Foi o maior surto do mundo e provocou a morte a 14 pessoas.

O Governo elaborou um diploma para prevenir surtos de infeção causados pela bactéria, como os de Vila Franca de Xira e Lisboa, que prevê auditorias trianuais e sanções acima dos 40 mil euros em caso de incumprimento.

Como pode ser contraída a infeção

A bactéria é responsável pela doença dos legionários, uma forma de pneumonia grave que se inicia habitualmente com tosse seca, febre, arrepios, dor de cabeça, dores musculares e dificuldade respiratória, podendo também surgir dor abdominal e diarreia. A incubação da doença tem um período de cinco a seis dias depois da infeção, podendo ir até 10 dias.

A infeção pode ser contraída por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água ou por aspiração de água contaminada. Apesar de grave, a infeção tem tratamento efetivo.