O presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, acusou, esta sexta-feira um funcionário municipal de ameaçar com uma faca o vice-presidente da autarquia, no gabinete deste.

Miguel Alves disse à Lusa que o funcionário em causa é Carlos Castro, também presidente da Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora.

Foi ao meu gabinete para falar comigo mas, como eu não estava, foi ao gabinete do meu vice. Foi recebido e terá sacado de uma arma branca, uma faca que trazia à cintura, e ameaçou que lhe cortava o pescoço, que o matava", referiu Miguel Alves.

Disse ainda que Carlos Castro foi posto fora da sala e que no exterior continuou a fazer ameaças de morte.

Miguel Alves disse que vai ser apresentada queixa no Ministério Público, ao mesmo tempo que irão ser apuradas "responsabilidades disciplinares".

O autarca disse que Carlos Castro tem, ao longo dos últimos dois anos, "um histórico de ataques sucessivos" à câmara.

O incidente de hoje terá a ver com o facto de, na quinta-feira, a EDP ter retirado umas luminárias LED que a Junta de Vila Praia de Âncora alegadamente instalou na Avenida da Praia.

Miguel Alves disse que as luminárias "não estavam licenciadas nem aprovadas" e que, segundo a EDP, "estavam a interferir com a iluminação pública, provocando vários apagões".

A questão é completamente alheia à câmara", sublinhou.

Para Miguel Alves, a atitude de Carlos Castro é "impensável, ilícita e intolerável".

A Lusa contactou Carlos Castro, que remeteu para mais tarde eventuais declarações.