Todos os 14 idosos e duas trabalhadoras de um lar da Misericórdia de Arganil afetados por um incêndio na madrugada de hoje estão “livres de perigo”, disse um responsável da instituição à agência Lusa.

Duas utentes que tinham sido “levadas por precaução” para o serviço de urgências do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) ainda estavam, às 12:15, nesta unidade de saúde, disse Nuno Gomes, diretor-geral da Santa Casa da Misericórdia de Arganil.

“A situação está estabilizada”, adiantou, indicando que as duas mulheres deverão ter alta ainda hoje.

Uma das utentes transportadas para o CHUC sofreu “algumas queimaduras de primeiro grau”, disse à Lusa o comandante dos Bombeiros Voluntários de Arganil, Nuno Costa.

Duas funcionárias e os 14 utentes, de ambos os sexos, que estavam na zona onde ocorreu o incêndio, cerca das 04:15, circunscrito a um dos quartos do segundo piso do edifício, foram afetados pela inalação de fumos e algum pânico.

As vítimas com problemas “muito ligeiros” deram entrada no Centro de Saúde de Arganil e “estão a ter alta paulatinamente”, segundo Nuno Gomes.

Ao longo do dia, “todos os utentes serão reinstalados” nos edifícios da Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) da Misericórdia de Arganil, liderada pelo provedor José Dias Coimbra, antigo presidente da Câmara Municipal.

Os mecanismos de alerta e socorro “foram acionados em tempo útil” e houve “uma pronta resposta dos Bombeiros”, salientou o diretor-geral da Misericórdia.

Estiveram no local do incêndio 43 operacionais e 19 viaturas de diversos corpos de bombeiros da região, além de uma equipa do CHUC, com viatura médica de emergência e reanimação (VMER), uma equipa com ambulância de suporte imediato de vida (SIV) e elementos da GNR.