A GNR de Arouca vai participar ao tribunal local o caso de uma criança que foi atacada por um cão, disse à agência Lusa, fonte daquela força de segurança.

O caso ocorreu na passada terça-feira, na freguesia de Moldes, em Arouca, e teve como vítima um menino de nove anos.

O tenente-coronel Nuno Amaro, do comando territorial da GNR de Aveiro, disse que o incidente "passou-se no seio familiar", adiantando que só souberam da situação pela comunicação social.

O mesmo responsável referiu que a Guarda procurou esclarecer a situação, tendo apurado que o animal em causa "cumpria todos os requisitos legais da posse de canídeos".

O animal estava registado, vacinado e possuía chip. Portanto, estava perfeitamente identificado", disse.

Nuno Amaro referiu ainda que o cão que atacou a criança passou a ser considerado um animal perigoso, tendo a GNR coordenado com o veterinário municipal a sua recolha para canil, em quarentena.

"Cão arrancou uma orelha ao miúdo"

Os Bombeiros de Arouca foram chamados cerca das 16:15, de terça-feira, para transportar uma criança do Serviço de Urgência Básico de Arouca para o Hospital de São João no Porto.

Segundo o comandante dos Bombeiros de Arouca, José Gonçalves, o menino teria sido atacado por um cão "arraçado de Serra da Estrela", que pertenceria à família da vítima.

O cão arrancou uma orelha ao miúdo e fez-lhe um corte num ombro e num braço com os dentes", disse o mesmo responsável.

Fonte do Hospital de São João referiu, na altura, que a criança deu entrada cerca das 18:20 e que se encontrava estável.