O antigo oficial da Marinha Vitor Crespo, que participou no golpe militar de 1974, morreu esta quarta-feira aos 82 anos, anunciou a Associação 25 de Abril.

«É com profundo pesar que vos comunico o falecimento do militar de abril, ocorrido hoje, almirante Vitor Manuel Trigueiros Crespo. Nascido em Porto de Mós, em 21 de março de 1932, Vitor Crespo foi um militar de abril de todas as horas, um dos principais dirigentes da Marinha no Movimento das Forças Armadas, integrando a equipa do Posto de Comando da Pontinha, nas operações militares do 25 de abril», pode ler-se no comunicado, assinado pelo presidente da associação, Vasco Lourenço.


A Associação 25 de Abril lembra ainda que Vitor Crespo foi membro do «primeiro Conselho de Estado, após o 25 de Abril» e assumiu o cargo de Alto-Comissário de Moçambique até à independência deste território.

«Regressado a Portugal, mantém-se no Conselho da Revolução (…) sendo o único dos membros da Armada a integrar os primeiros subscritores do Documento dos Nove», lembram.


Vitor Crespo integrou depois como ministro da Cooperação o VI Governo Provisório (setembro de 1975 a julho de 1976), chefiado por Pinheiro de Azevedo.

«Após a extinção do conselho da revolução, volta à Armada, onde (…) assume o cargo de Director do Serviço de Justiça (…) até à sua passagem à situação de Reserva», pode ler-se no comunicado da associação, destacando o facto de Vitor Crespo ter «sócio fundador nº 2» da organização.

«Com o seu falecimento, Portugal perde um dos seus melhores cidadãos, a Associação 25 de Abril fica bastante mais pobre e, pessoalmente, vejo partir um dos meus melhores amigos», lamentou Vasco Lourenço.


O velório de Vitor Crespo realiza-se na Basílica da Estrela, quinta-feira, a partir das 17:00.

Na sexta-feira, realiza-se uma cerimónia de homenagem às 12:00, que antecede o funeral, no cemitério do Alto de S. João.