Seis pessoas, quatro bombeiros e dois civis, ficaram feridos sem gravidade durante o incêndio que lavra desde a tarde de terça-feira nos concelhos de Abrantes e do Sardoal, no norte do distrito de Santarém, segundo a Proteção Civil.

O comandante Jorge Costa, do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, disse à Lusa que, durante a madrugada, já sem habitações em perigo, os meios se concentraram na área florestal, tendo alguns dos setores cedido, mantendo-se contudo o fogo ativo em outros setores.

No terreno estão 690 operacionais e 217 viaturas, tendo sido acionados seis meios aéreos, com dois helicópteros a auxiliarem no combate logo pela manhã, estando os restantes, que incluem aviões pesados, a caminho.

Jorge Costa adiantou que dois dos bombeiros chegaram a ser transportados para uma unidade de saúde, não inspirando contudo cuidados, tendo os restantes feridos sido assistidos no local.

Também contactado pela Lusa, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Abrantes, António Manuel de Jesus, afirmou que, debelada uma das frentes do fogo durante o início da madrugada, se mantêm três frentes ativas, com menor intensidade, tendo a situação “melhorado bastante” nas últimas horas.

Durante a noite arderam duas habitações, uma em Carvalhal, no concelho de Abrantes, e outra em São Simão, no concelho de Sardoal, aldeia que foi evacuada, tendo os cerca de 50 habitantes pernoitado no quartel dos bombeiros, disse à Lusa o presidente do município, Miguel Borges.

Além destas habitações, o fogo, que se iniciou às 15:51 de terça-feira em Sentieiras, na freguesia de Fontes, no concelho de Abrantes, alastrando depois ao concelho vizinho do Sardoal, destruiu alguns barracões e arrumos.