As condições de circulação na ponte 25 de Abril estão asseguradas «sem quaisquer condicionalismos», depois de no final da tarde de sábado, um petroleiro ter embatido num pilar de sustentação da ponte, garantiu a  Estradas de Portugal.

A empresa confirmou a informação avançada pela Polícia Marítima no dia do embate, em que dava conta de que « um navio de abastecimento, que se encontrava fundeado no rio Tejo, tocou na sapata do pilar P3 da Ponte 25 de Abril».

«Após vistoria efetuada, foi confirmado que não se registou qualquer dano na sapata daquele pilar, pelo que se encontram asseguradas as condições necessárias à circulação ferroviária e rodoviária sem quaisquer condicionalismos», refere o comunicado da Estradas de Portugal enviado à agência Lusa.


A ponte sobre o Tejo é tutelada pela empresa Lusoponte, no entanto as vistorias técnicas às condições de segurança das infraestruturas rodoviárias são da responsabilidade da Estradas de Portugal.

O acidente com o petroleiro deu-se perto das 19:00 de sábado, tendo a Polícia Marítima tomado conta da ocorrência e enviado, num primeiro momento, uma equipa para o local.

Ainda no próprio dia, a Polícia Marítima adiantou à agência Lusa que o embate do navio-tanque não tinha provocado « danos de maior» na estrutura da ponte, nem motivado qualquer interrupção na circulação rodoviário ou ferroviária.

O comunicado da EP avança ainda que « o navio também não sofreu danos, continuando a laborar normalmente».