A associação Humana vai alertar quinta-feira para as vantagens de reutilizar roupas e a necessidade de mudar comportamentos e hábitos para defender o ambiente e contribuir para a redução das alterações climáticas.

Os contentores da Humana recebem texteis usados, de vestuário a cortinados ou roupa de cama, que são encaminhados para famílias carenciadas, em Portugal, mas também em África, ou vendidos de forma a obter fundos depois transformados em ações de formação naqueles países.

Além da vantagem social da recolha da roupa "velha", na quinta-feira, na terceira edição da iniciativa Humana Day, a associação pretende recordar aos cidadãos que passarem na avenida Almirante Reis, em Lisboa, a necessidade de mudar comportamentos e hábitos para defender o ambiente e contribuir para a redução das alterações climáticas.

É que reutilizar uma peça roupa significa não recorrer a novas matérias primas, retiradas da natureza, mas também reduzir os gastos na produção e o lixo.

"A peça de roupa mais sustentável é aquela que já foi fabricada" disse hoje à agência Lusa a responsável pela Comunicação da associação Humana, Teresa Palheiro, salientando os benefícios "óbvios para o ambiente de não estar a produzir uma nova peça de vestuário" pois "poupa-se tudo".


As preocupações da associação vão até ao "próprio impacto ambiental" da indústria da moda. "Todos juntos temos de repensar e reposicionar em termos das questões ambientais que coloca" este setor, defendeu Teresa Palheiro.

"A sustentabilidade é possível se todos nós tivermos, de uma forma ou outra, um posicionamento diferente", realçou.


Por isso, o tema deste Humana Day é "our climate, our challenge" (o nosso clima, o nosso desafio) e integra um espectáculo de teatro e dança com o título "Uma Roupa Mil Segredos para Contar" - uma coprodução com o Largo Residências-, representando vários papéis que uma roupa pode ter em diferentes "cenários" da vida, um desfile de moda, várias atividades de animação na loja e um período de descontos.

"Tentamos aproximar mais as pessoas e o que se pretende é destacar os benefícios óbvios da reutilização de roupa usada e envolver as pessoas que passam na rua com várias atividades, como um espectáculo e um desfile de moda de vestuário 'Secondhand' - em segunda mão", resumiu Teresa Palheiro.


O Humana Day, que em edições anteriores mostrou o trabalho nos países em que a associação desenvolve projetos de cooperação, é uma iniciativa anual partilhada por cerca de 15 organizações da Federação Humana 'People to People' na Europa.