"Em termos militares, a taxa está fixada", afirmou Paulo Macedo, acrescentando que "todos os países da NATO têm uma verba fixa para a Defesa entre 0,9 e 1,1% [do PIB]".






"A conversa inteligente é aquela em que se quer mais dinheiro para a Saúde e em que se diz com que propostas, com que objetivos e como é que isso se vai financiar", frisou.