No dia em que se cumpriu o primeiro de dois dias de greve dos enfermeiros, surge um estudo do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica que dá conta que quase dois terços destes profissionais têm uma perceção negativa da sua saúde mental e mais de sete em cada dez consideram que sofrem de ansiedade e insónia.

O estudo que avalia as perceções dos enfermeiros quanto à saúde mental foi realizado no ano passado e contou com uma amostra de 1.264 profissionais. A agência Lusa teve acesso a um resumo do documento, que será apresentado, esta quinta-feira, em Lisboa.

São mais de 60% os enfermeiros que assinalaram como negativa a perceção que têm da sua saúde mental, sendo que nove em cada 10 indicam mesmo que consideram sofrer de disfunção social.

Quase oito em cada dez enfermeiros consideram que sofrem de ansiedade e insónia. Há mesmo 22% que referem ter a perceção de ter sintomatologia de depressão grave.

O problema dos turnos

Entre os enfermeiros que fazem turnos, 90% consideram que não dormem o suficiente entre turnos de noite seguidos e há também quase 80% que não dormem o suficiente entre turnos de manhã seguidos.

Independentemente dos turnos, mesmo entre os profissionais que não os fazem, mais de 80% dos enfermeiros consideram que não dormem o suficiente.

No geral, mais de um terço dos enfermeiros participantes no estudo considera sofrer de pelo menos uma doença física ou mental. As perturbações ligadas ao humor e as de ansiedade representam cerca de um quinto das doenças assinaladas.

Quanto à perceção da saúde mental face às variáveis socioprofissionais, o estudo nota que exercer a profissão em hospitais está ligado com mais sintomas somáticos (como falta de energia ou cefaleias).

Ter formação especializada fica associado a melhor saúde mental, com menos sintomas.

Dos enfermeiros especialistas, os de saúde materna e obstétrica são os que assinalam uma pior saúde mental e os de psiquiatria os que percecionam de melhor forma a sua saúde.

Este estud foi realizado por um grupo de investigadores constituído por enfermeiros especialistas em enfermagem de saúde mental, realizado na Escola de Enfermagem do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica.