As escolas básicas da Portela de Sintra e de Ouressa (Mem Martins) estão esta sexta-feira encerradas devido à greve do pessoal auxiliar, destinada a reclamar mais funcionários e manutenção na D. Pedro IV (Monte Abraão), informou fonte sindical.

O objetivo desta greve é o reforço de pessoal, a alteração da portaria de rácio, que não resolveu nada, e os graves problemas de manutenção e equipamento nestas escolas, que já foram comunicados à câmara e que não são resolvidos", explicou à agência Lusa o sindicalista João Santos.

O Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas convocou para esta sexta-feira uma greve de trabalhadores não docentes das escolas básicas (EB) da Portela de Sintra, Ouressa e D. Pedro IV para protestar contra a falta de pessoal e degradação das escolas.

A escola está a funcionar com mais três elementos que puseram aqui para poder funcionar", explicou João Santos, em relação à EB 2/3 D. Pedro IV, em Monte Abraão, estabelecimento de ensino que possui dois turnos com 600 alunos.

Segundo o sindicalista, as instalações possuem "casas de banho entupidas, vidros partidos forrados a papel, redes de proteção degradadas" e, do quadro de 24 funcionários, dois encontram-se de baixa prolongada e "cinco ou seis com limitações" de vária ordem.

O funcionamento durante a manhã foi assegurado através de "seis funcionários, com três externos à escola, que foram colocados para assegurar serviço", mas João Santos admitiu que o estabelecimento poderá não ter condições para abrir durante a tarde.

Na EB1/JI [Jardim de Infância] da Portela de Sintra, na União de Freguesias de Sintra, o pessoal docente encontrava-se hoje de manhã no estabelecimento, mas as instalações estavam fechadas devido à greve do pessoal auxiliar, segundo fonte da escola.

De acordo com João Santos, "falta um porteiro, porque qualquer pessoa entra pela escola, uma vez que a auxiliar se está dentro das instalações não pode estar na portaria", bem como é preciso fazer a manutenção no arvoredo e "uma intervenção no parque infantil".

Um dia entrou um pai alcoolizado, que é violento, e estavam apenas duas auxiliares, podia ter havido um problema", contou o sindicalista, reclamando mais pessoal para o estabelecimento do agrupamento de escolas Monte da Lua.

A EB1/JI de Ouressa, na freguesia de Algueirão-Mem Martins, também se encontra hoje fechada, devido à greve, confirmou uma fonte do agrupamento de escolas Ferreira de Castro.

"A porta de entrada tem um papel para não fechar. Se ela fechar depois não conseguem abrir, tem de ser alguém por fora", relatou João Santos, acrescentando que também faltam auxiliares, porque "uma rescindiu e duas estão de atestado" e a contratação de uma funcionária não resolve a carência.

O sindicato remeteu à Câmara de Sintra um ofício dando conta dos problemas das três escolas, mas até agora não viu solução adequada às necessidades de cada estabelecimento.