O Tribunal de Lousada condenou um homem a três anos de prisão efetiva pela prática do crime de violência doméstica, informou hoje a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto.

O arguido ficou ainda condenado a pena acessória de proibição de contactos com a vítima, pelo período de quatro anos, incluindo o afastamento da residência e do local de trabalho.

Ficou ainda obrigado pelo tribunal a frequentar um programa específico de prevenção da violência doméstica.

De acordo com a página na Internet da PGD, o tribunal considerou provado que o arguido, desde fevereiro de 2012, "movido pelo ciúme ou embriagado, iniciava discussões com a vítima, insultando-a".

Em maio de 2016, o homem agarrou a vítima, "introduziu-lhe um pano molhado com álcool na boca e arrastou-a para o quarto".

Nessa divisão da casa, acrescenta a informação, o arguido amarrou as mãos e as pernas da vítima à cama, com arames, e disse-lhe que ali morreria se não desistisse de manter conversas com outro homem através de uma rede social.