O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, anunciou hoje um investimento de perto de 100 mil euros na freguesia de Ribafeita, onde vai ser criada uma pista pedonal para cumprimento de promessas em honra de Madre Rita.

«Vamos criar um corredor pedonal para cumprimento de promessas entre a casa de Madre Rita e a Igreja Matriz de Ribafeita. Para nós, a Madre Rita é uma opção estratégica, que o município e a freguesia assumem como desígnio», sustentou, citado pela Lusa.

Na reunião pública e descentralizada da Câmara Municipal de Viseu, que decorreu hoje de manhã nas instalações da União das Freguesias de São Cipriano e Vil de Souto, o autarca do PSD informou que o investimento ultrapassa os 96 mil euros.

«Trata-se de um projeto estruturante, um local de culto para a Madre Rita, que se constituirá como âncora da freguesia de Ribafeita», alegou.

Almeida Henriques destacou que «o investimento significativo» acontece a dois meses de «uma peregrinação internacional que vai acontecer no final de julho».

«Madre Rita é uma beata venerada em várias partes do mundo, designadamente no Brasil. Esta é uma forma de criarmos condições para acolher os peregrinos e de valorizarmos o facto de termos uma figura beatificada no nosso concelho, promovendo o turismo religioso», destacou.

Para além da colocação da pista pedonal com mais de dois quilómetros de extensão, será anda feita a ligação em estrada entre a casa da Madre Rita e a Igreja Matriz de Ribafeita.

«Teremos uma estrada que liga estes dois pontos e ao lado um caminho tipo ecopista, que servirá também para outros efeitos ao longo do ano», concluiu.

Madre Rita, conhecida como «Apóstola da Família», foi beatificada em 28 de maio de 2006, depois de lhe ter sido atribuído o milagre da cura de uma mulher que sofria de uma doença mortal do intestino, na cidade de Franca, no Brasil, em 1989.

Dedicada à educação com vista à formação de boas famílias, Rita Amada de Jesus era natural da freguesia de Ribafeita (concelho de Viseu) e foi a fundadora do Instituto Jesus Maria José, em 1880.