O Conselho de Ministros fixou esta quinta-feira o efetivo máximo das Forças Armadas em 31563 militares para 2015, incluindo os que estão na reserva mas em efetividade de serviço, o que representa uma diminuição superior a três mil efetivos.

«O diploma agora aprovado resulta da aplicação da nova Lei Orgânica de Bases da Organização das Forças Armadas, sendo um importante passo no sentido da transparência e do rigor na gestão dos recursos humanos nas Forças Armadas», refere o comunicado publicado no final da reunião do Conselho de Ministros.

O comunicado do Governo assinala que nesta fixação de efetivos «é considerado o objetivo fixado em abril de 2013, por resolução do Conselho de Ministros, que aprovou as linhas de orientação para a execução da reforma estrutural da defesa nacional e das Forças Armadas, designada por Reforma Defesa 2020».

«O efetivo máximo das Forças Armadas para 2015, incluindo os militares na situação de reserva na efetividade de serviço, é fixado em 31563 militares, o que significa uma redução de 3310 militares face à situação atual», pode ler-se no mesmo comunicado.