Um homem de 32 anos, suspeito de ter ateado 17 focos de incêndio na freguesia do Arrabal, concelho de Leiria, foi constituído arguido pelo crime de incêndio florestal com dolo, informou esta quarta-feira a GNR.

Em comunicado, a GNR esclarece que «o Núcleo de Proteção do Ambiente do Destacamento Territorial de Leiria, em sequência de inquérito e operações estáticas de vigilância efetuadas na data dos factos, identificou e constituiu arguido» um indivíduo «autor confesso da ignição de 17 focos de incêndio» ocorridos entre os meses de abril e agosto de 2013.

À agência Lusa, o oficial de relações públicas da GNR de Leiria, capitão Pedro Rosa, adiantou que o arguido, manobrador de máquinas, ateava os incêndios através «de chama direta, com recurso a fósforos e a isqueiros».

Pedro Rosa explicou que o suspeito, sem antecedentes criminais, «confessou os factos após algumas horas de inquirição», o que ocorreu na terça-feira.

O responsável referiu que não foi ainda apurado o móbil do crime, sendo que também «não estão totalmente quantificados os danos, mas houve alarme local e social, e os bombeiros foram chamados para apagar os focos de incêndio».

O inquérito foi remetido ao Ministério Público.