A Polícia Judiciária está a realizar várias buscas na sequência do processo-crime sobre o caso da Raríssimas, denunciado por uma investigação da TVI.

Segundo apurou a TVI, os inspetores estão na Casa dos Marcos, na Moita, na sede da Raríssimas, em Lisboa, na casa de Paula Brito da Costa e no gabinete do ex-secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado.

Recorde-se que Manuel Delgado se demitiu na sequência de uma entrevista com a TVI, em que ficaram expostas as suas contradições nesta polémica.

A Procuradoria-Geral da República, numa resposta à Lusa, confirmou a realização das buscas, "no âmbito do inquérito que se encontra em investigação no DIAP de Lisboa".

O Ministério Público, através do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, está a investigar a associação Raríssimas desde finais de novembro. 

Até ao momento, ninguém foi constituído arguido.

Segundo revelou a reportagem da TVI, Paula Brito da Costa usaria o dinheiro da associação para uso pessoal, além de auferir um salário de três mil euros, mais ajudas de custo e um PPR.