Os 30 alunos da Escola Secundária da Lagoa, Açores, que estão em casa por causa de um surto de sarna regressam às aulas na segunda-feira e, «à partida, o caso está debelado», disse esta sexta-feira o delegado de saúde do concelho.

«Neste momento, o caso, à partida, está debelado, não vejo qualquer motivo de preocupação ou alarme. Na segunda-feira irão todos para a escola, todos os que foram reavaliados hoje irão na segunda-feira retomar toda a sua atividade normal», afirmou Paulo Margato, referindo-se aos trinta alunos que por confirmação de sarna ou por prevenção foram enviados para casa.


O delegado de saúde da Lagoa assegura que, apesar de não se verificarem novos casos desde quinta-feira, será feita uma «desinfestação e desparatização» das instalações da escola durante o fim-de-semana, para «tranquilidade dos pais».

«Houve hoje um novo briefing com participação da autoridade veterinária do concelho e cientificamente não faz sentido haver alguma desparatização ou desinfestação à escola. Mas mesmo assim, e por uma questão de tranquilidade dos pais, vai-se proceder a essa desinfestação», sublinhou o delegado de saúde do concelho da Lagoa, na ilha de São Miguel.


Paulo Margato assegura que apesar de o gabinete avançado de saúde instalado esta semana na escola não estar presente já esta tarde no recinto escolar, estará um médico disponível no centro de saúde da Lagoa para qualquer eventualidade.

«Atendendo à proximidade da escola, estará um médico na Unidade de Saúde da Lagoa disponível para atender de imediato qualquer situação que possa aparecer», disse.


Cerca de trinta alunos desta escola foram enviados para casa durante esta semana por causa de um surto de sarna, que afetou duas turmas, do 8.º e do 9.º ano.

O presidente do conselho executivo da Escola Secundária da Lagoa disse, durante a semana, que esta foi a primeira vez que se verificou um surto de sarna na escola, embora noutros anos tenha já havido casos pontuais.

A sarna é provocada por um ácaro que se aloja na pele e transmite-se através do contacto físico ou através da roupa, sendo os sintomas mais frequentes a comichão.