Dois tanques de rega rebentaram, esta quarta-feira, na freguesia de Campanário, na Madeira.

Segundo apurou a TVI no local, uma mulher com cerca de 60 anos foi arrastada pela água, estando desaparecida desde as 8:30 desta manhã.

Uma equipa especializada em montanhismo da PSP está no local a efetuar as buscas, assim como dois cães.

O volume bastante elevado de água percorreu uma descida de cerca de 100 metros e arrastou bananeiras, paredes e muita terra. 

A mulher vivia numa casa ao lado dos poços que rebentaram e tentava desviar o curso de água das chuvas do quintal quando uma parede desabou e a arrastou.

“Tudo indica que a senhora, tenha sido levada pela água quando os tanques rebentaram, supostamente por terem água a mais devido à chuva que tem caído na região. Está dada como desaparecida”, disse à agência Lusa o presidente da câmara da Ribeira Brava, Ricardo Nascimento.
 

Marinha e Força Aérea acionadas para buscas

O presidente do Serviço de Proteção Civil madeirense revelou que foram acionados os meios da Marinha e da Força Aérea nas buscas pelo corpo da mulher desaparecida.

Falando aos jornalistas, Luis Néri referiu que uma equipa de resgate de montanha, com a ajuda de cães, “limpou cerca de 100 metros, que foram passados a pente fino” na zona onde as paredes de dois tanques rebentaram, supostamente arrastando uma mulher com cerca de 60 anos que passava no local.

Segundo o responsável, “prosseguem as buscas”, tendo sido acionado os meios da Marinha e da Força Aérea, visto que a água acabou por correr para um ribeiro que vai desaguar ao mar, na zona do Calhau da Lapa.

Luis Néri adiantou que a próxima intervenção é efetuar uma vistoria “mais para baixo”, admitindo, contudo, que, “tendo em conta o estado do tempo e a quantidade de entulho, será uma tarefa difícil encontrar o corpo”, até porque os odores são alterados.

O arquipélago da Madeira está sob aviso laranja, devido a chuva ou aguaceiros fortes acompanhados de trovoada.