O helicóptero de emergência médica que estava estacionado na Base Aérea de Beja foi deslocado para o aeródromo de Évora, revelou hoje o INEM, que justificou a medida para servir melhor a população da região.

Fonte oficial do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) adiantou à agência Lusa que a mudança, concretizada esta semana, resulta de "constrangimentos existentes" na Base Aérea de Beja, sem especificar quais.

"A colocação do helicóptero do INEM no Aeródromo Municipal de Évora é a que melhor serve, no momento atual, as necessidades da população".


A fonte assinalou que "o INEM monitoriza em permanência o dispositivo" do Serviço de Helicópteros de Emergência Médica (SHEM) para "garantir a resposta mais eficaz" dos meios.

Colocado no aeródromo de Évora, a "meia dúzia" de quilómetros da cidade, o helicóptero, cuja equipa é constituída por dois pilotos, um médico e um enfermeiro, está operacional durante 24 horas por dia.

Segundo a mesma fonte, embora os meios do SHEM "funcionem em rede", o helicóptero agora sediado em Évora abrange este distrito, mas também o de Portalegre, o norte de Beja e o sul de Setúbal.

A fonte do INEM referiu que, após terminar a Fase Charlie do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais, "foram reposicionados os meios", nomeadamente um helicóptero em Évora e outro em Loulé, no Algarve, no âmbito do protocolo de partilha de meios com a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).