Uma explosão aconteceu, esta terça-feira, na SAPEC em Setúbal, confirmou fonte do CDOS de Setúbal à TVI24. Segundo a mesma fonte, a explosão seguida de incêndio aconteceu na SAPEC Química, localizada ao lado da SAPEC Agro onde em fevereiro, um incêndio nos armazéns provocou emissão de dióxido de enxofre.

O incêndio foi declarado extinto por volta das 13:30, "não havendo qualquer perigo para o ambiente", como confirmou a empresa, em comunicado. 

Encontra-se totalmente extinto o incidente que ocorreu hoje na fábrica de solventes da Sapec Química S.A. em Setúbal, não havendo qualquer perigo para o ambiente."

Ao que a TVI24 apurou, um trabalhador, de 57 anos, foi levado para o hospital de São Bernardo, em Setúbal, com queimaduras em 30% do corpo.

Fonte hospitalar indicou que se trata de um ferido ligeiro. A mesma fonte hospitalar explicou que o ferido vai ser levado para o hospital de São José, em Lisboa, para ser avaliada a possibilidade de uma cirurgia plástica. A empresa informou que o ferido "está totalmente fora de perigo".

"O colaborador que foi transportado para o Hospital de Setúbal apresenta ferimentos ligeiros e está totalmente fora de perigo."

Ainda de acordo com o mesmo comunicado, o alerta para a explosão foi dado às 11:52 e a causa do fogo ainda não foi apurada.

O incêndio ocorreu às 11:52 na unidade de enchimento da fábrica de solventes por causa ainda não apurada, e acorreram imediatamente ao local os Bombeiros, a Proteção Civil e o INEM. O fogo foi rapidamente circunscrito e controlado, dando-se por extinto pelas 13h30." 

No local estiveram 73 operacionais dos bombeiros, Cruz Vermelha e Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), apoiados por 28 veículos, e também responsáveis da Agência Portuguesa do Ambiente.

Entretanto, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) informou que o incêndio não provocou alterações relevantes na qualidade do ar.

Em termos de qualidade do ar, verifica-se que o vento na zona está do quadrante noroeste com intensidade moderada, dispersando a nuvem poluente para sudeste, não se tendo registado alterações dos poluentes medidos nas estações relevantes", refere um comunicado da APA, sem concretizar os níveis de poluição que terão sido detetados na sequência do incêndio dado como extinto cerca das 14:00.

No comunicado, a APA adianta que vai continuar a acompanhar a situação "em articulação com a Associação Nacional de Proteção Civil (ANPC), a Direção Geral de Saúde, a Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo e demais entidades relevantes".

A nuvem de fumo provocada pelo incêndio ocorrido no passado mês de fevereiro obrigou a medidas de precaução da população residente nas localidades do Faralhão e de Praias-do-Sado e a Câmara Municipal decidiu o encerramento, por um dia, de diversos estabelecimentos de ensino do concelho de Setúbal.