A Ordem dos Médicos (OM) anunciou, esta quinta-feira, que pretende fazer uma auditoria aos concursos no Serviço Nacional de Saúde, por suspeitar de favorecimentos ilícitos durante a fase de entrevistas a candidatos.

Segundo o bastonário José Manuel Silva, já foi feita uma denúncia ao Ministério Público (MP), a propósito de um concurso específico, em que se suspeita de favorecimento a colegas que tinham feito a especialidade no hospital ao qual pertenciam os elementos do júri.

Neste concurso para contratação de jovens especialistas, que o bastonário se escusou a revelar onde tinha decorrido, houve médicos que desceram dois ou três valores em relação às notas de exame e outros que subiram também dois ou três valores.

«Não há cultura de isenção em Portugal para a realização deste tipo de entrevistas. Está a haver a subversão do espírito de avaliação, por causa da entrevista. Daí que o exame seja tão importante. Queremos fazer uma auditoria nacional para perceber o que se está a passar neste tipo de concursos», revelou José Manuel Silva, num encontro com jornalistas em Lisboa.

O bastonário explicou que estes concursos são regionais, com júris escolhidos pelas administrações regionais da Saúde, considerando ainda que não faz sentido que os elementos que o compõem sejam predominantemente de um mesmo hospital.

Um caso concreto já foi enviado para análise ao Ministério Público, à Inspeção-geral das Atividades em Saúde e à Provedoria de Justiça.